quinta-feira, 17 de julho de 2008

Grades...

Trancada num mundo sangrento
Uso máscara de Ferro
Meu Rosto não pode ser exposto
Estou Rodeada de Ratos
Todas as Flores Morreram
Todos os Pássaros calaram
Todas as fontes secaram
E tenho q fingir ser Feliz
Mas o riso de meu rosto
Uniu-se a minha liberdade
E pegou "o trem das 11"
Nos momentos de lucidez
Procuro nas grades de meu vazio
A resposta pra quem sou eu
Inútil...

6 Descarregos:

Cemitério de Ilusões disse...

gostei da imagem
casou com o texto perfeitamente
a poesia sugere desespero
adorei
bj^^
Eloyna Lee

mulher lua disse...

Olá

Quero agradecer o teu comentário e dizer-te que "mulher lua" foi o nome dado pelo amigo que me criou o blogue. Apesar de gostar imenso da lua, das suas várias formas e luar, do seu encanto longínquo que me faz sonhar, identifico-me mais com a "mãe terra".

Em relação aos teus escritos, quem diria que tens apenas 18 aninhos?

Veijios enluarados

mulher lua disse...

Desculpa, mas o Platão era mesmo um Bócó. Então a poesia é prejudicial? Então as paixões devem ser contidas e disciplinadas?
Ai o que ele tinha para aprender...

Desnuda disse...

Mais do que desespero. Um tormento terrivelmente sufocante e esmagador. Desilus�o.



H� dias em que o
DESESPERO GRITA
Ou�o
Sentindo FUNDO

MUNDO
MEDO
MUDO

Medro MEU MUNDO
E o mundo
GRITA

ECOS NO MEU MUNDO


SAM*


Obrigada pela visita, Manu! Volte sempre.

Dark Kiss

Paradoxos disse...

tens palavras poderosamente fortes e intensas!!

abraços

Ana Vitória disse...

Parece-me que a poesia também faz referencia a sociedade.

Pessoas usam sua mascara de ferro para não serem expostas, para não serem descobertas pelos seus erros, seus receios...

E ainda se sentem felizes

Interessante, reflexivo, não sei se foi isso que vc quis dizer!

Até mais!
Obrigada pela visita!
Belo blog!